Sindmepa recomenda incentivos via Lei Tó Teixeira
Afiliado a:

Sindmepa recomenda incentivos via Lei Tó Teixeira

O Sindmepa fechou uma parceria cultural, na última semana, com o cineasta Eduardo Souza, diretor do filme Olhos D’água, que trata da origem do cinema na Amazônia. A ideia é estimular empresas da área de saúde a patrocinar projetos de áudio visual através da Lei Tó Teixeira. A lei municipal permite a aplicação de até 20% do ISS e/ou IPTU no financiamento de projetos culturais.

Um dos projetos que podem receber incentivo, via lei Tó Teixeira, é a XIII Mostra de Cinema da Amazônia, projeto itinerante e gratuito que utiliza o cinema como ferramenta de intercâmbio cultural entre a Amazônia e o mundo, divulgando filmes amazônicos para os mais diversos públicos.

Em 13 anos de existência, o evento já passou por 21 cidades em cinco países, exibindo mais de 180 filmes e este ano deverá acontecer no Cineteatro Sindmepa.

Cada edição da Mostra de Cinema da Amazônia tem duração de uma semana com projeções, debates, palestras, encontros e exibições de curtas, médias e longas metragens em formatos de ficção, documentário e animação, da Amazônia brasileira e internacional.

Lei Tó Teixeira

A Lei Municipal Tó Teixeira de Incentivo à Cultura funciona como ponte entre artistas e empresas interessadas em patrocinar iniciativas de fomento à arte e à cultura em Belém, sem nenhuma consequência onerosa para a empresa patrocinadora. Pelo contrário, além da isenção de até 20% do valor total de pagamento do Imposto Sobre Serviço (ISS) e/ou do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), as empresas patrocinadoras recebem retorno de mídia com divulgação da sua marca em todo plano de comunicação dos projetos.

Eduardo Souza

O cineasta tem larga experiência em idealização, produção e administração de projetos culturais. Ao longo dos últimos 20 anos elaborou, coordenou e captou recursos para os mais diferentes projetos, desde produções cinematográficas e festivais gastronômicos a espetáculos teatrais, prêmios de literatura e shows musicais, sempre utilizando recursos de editais culturais nacionais e internacionais, além das leis de incentivo municipal (Tó Teixeira), estadual (Semear) e federal (Rouanet). Atualmente é vice-presidente e coordenador de projetos do Instituto Cultural Amazônia Brasil, diretor-presidente da produtora de cinema e vídeo Mekaron Filmes e sócio-diretor da Associação Sabor Selvagem.

Deixar um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.