Afiliado a:

Sindmepa Informa – 24-12-2013

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Não causou estranheza ao Sindmepa a repercussão em rede nacional do atendimento no HPSM da 14, que tem problemas estruturais que se arrastam há anos. Causou estranheza, isso sim, o fato de somente o diretor do Hospital ter sido afastado depois do desastroso “pai nosso da despedida”, enquanto a senhora secretária de Saúde, que também comungou da ideia de que só reza resolve, continua incólume no cargo. Com a palavra, o senhor prefeito.

MÉDICOS RESIDENTES

Registramos agradecimentos da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), por meio de sua Diretoria Executiva, pela participação do Sindmepa na realização do 47º Congresso Nacional dos Médicos Residentes, que aconteceu  em nossa sede, nos dias 05 e 06 deste mês. Sabemos da importância desse tipo de evento para a valorização do médico residente, daí nosso esforço em contribuir com a mobilização dos colegas. Ficam registrados os agradecimentos.

CUBANOS EM BELÉM?

A Prefeitura de Belém estaria pensando em solicitar ao Ministério da Saúde a vinda de médicos cubanos para atender Belém, Icoaraci, Outeiro, Mosqueiro e algumas ilhas da capital. Tudo bem, mas preparem-se também para pagar R$ 10 mil, moradia, ajuda de custo e transporte aos médicos paraenses que atuam nestes locais sob pena de ter que experimentar a primeira greve na Sesma, pois somente o miserável salário e as atuais condições de trabalho já seriam suficientes para isso.

PARLAMENTARES

Os médicos paraenses, familiares e pacientes não se esquecerão, nas eleições de 2014, dos deputados paraenses que votaram contra a criação da carreira pública do médico, na última semana em Brasília. A aprovação deste projeto, era considerada pela categoria como a verdadeira solução para a falta de médicos na periferia das grandes cidades e locais de difícil acesso. Voltamos à estaca zero. “Parabéns” aos nossos representantes.

EFICIÊNCIA NO SUS

Relatório do Banco Mundial, que analisa 20 anos do SUS, afirma que é possível fazer um SUS melhor e mais eficiente com o mesmo orçamento. Só o aumento necessário e desejado de verbas para a saúde pode não gerar impacto significativo na saúde da população, aponta o relatório. Um exemplo é a baixa eficiência da rede hospitalar que poderia ter uma produção três vezes superior à atual com o mesmo orçamento. A eficiência na gestão, com financiamento adequado, é o cerne da questão.

ARMADILHA

Artigo do advogado Alexandre Ferreira, do departamento jurídico do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, alerta sobre a “armadilha” das contratações de médicos por meio de pessoa jurídica, as famosas PJ. Ao ser contratado como PJ, o médico perde os direitos previstos na CLT, como férias, horas extras, gratificação natalina, adicional de insalubridade, adicional noturno, proteção contra despedida arbitrária, FGTS, licença maternidade, piso salarial, irredutibilidade de salário, entre outros previstos na Constituição. Também não terá os direitos de médico concursado, previstos no estatuto do servidor (como férias, 13º, etc). Quem puder, é bom ficar longe dessa armadilha.

 

Deixar um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.