Afiliado a:

Pediatras do HPSM Mário Pinotti realizam movimento de triagem

Desde às 8h da manhã de hoje, todos os prestadores de serviço da ala pediátrica do HPSM Mário Pinotti, o HPSM da 14, realizam movimento de triagem no hospital, atendendo apenas a pacientes em estado grave. O protesto é motivado pela ausência de reajuste salarial, assim como pelo atraso no pagamento de plantões, falta de remédios e espaço para atendimento e acolhimento de pacientes. O movimento de triagem será intensificado a partir de amanhã.

“Falta um espaço maior para receber os pacientes e acompanhantes. Além disso, não existe uma data marcada para o pagamento de plantões. A única coisa que a gente sabe é que vai receber dois meses depois, entre o dia dez e o dia vinte, mas não se sabe quando”, revela uma médica, que prefere não se identificar para evitar retaliações da direção do Hospital.

Em documento protocolado junto ao Conselho Regional de Medicina do Pará (CRM-PA) e ao Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa-PA), a equipe de pediatras aponta que a direção descumpriu os diversos acordos firmados anteriormente. O hospital não oferece condições de trabalho adequadas, como equipamentos e medicamentos, além dos atrasos no pagamento que vem se dando desde outubro do ano passado.

No relatório enviado ao Sindmepa e protocolado no hospital, os pediatras se queixam de que “diversos médicos entraram na escala do serviço, trabalharam e saíram do serviço sem receber nada pelo trabalho executado. Suas folhas de frequência não foram impressas impossibilitando os mesmos de registrar seus plantões para pagamento e as escalas entregues, apesar de constar seus nomes, foram desconsideradas na contagem dos plantões para pagamento”. Além disso, acrescentam os pediatras, “são utilizados meios não oficiais e não legais para contabilização de plantões médicos, como livro de registros de enfermagem, que não são específicos da categoria médica, que podem conter erros e ausência de informações fidedignas e são unilaterais, uma vez que o prestador não tem obrigação de registrar seu trabalho num livro de registro de outra categoria”.

AUSÊNCIA

Hoje ao meio dia estava marcada reunião com um representante do HPSM da 14, que foi desmarcada sem justificativa pelo diretor, sob alegação de não ter sido protocolada na secretaria do hospital. “Íamos tentar negociar uma solução para os problemas nesta reunião. Infelizmente, o diretor do PSM, após marcar reunião, volta atrás e diz que não marcou. Isso parece mais coisa de moleque”, disse o diretor do Sindmepa, João Gouveia.

O diretor garantiu que o movimento vai ser intensificado a partir desta terça-feira e, se não houver sinalização por parte da Sesma e da Prefeitura, a tendência é os pediatras entregarem a escala. “O município corre o risco de perder uma equipe que se levou anos para montar, já que o estado do Pará tem carência de pediatras”.

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.