Afiliado a:

Núcleo desperta união entre entidades médicas e acadêmicas

O lançamento do Núcleo Acadêmico do Sindicato dos Médicos do Pará marcou uma nova etapa na história do Sindmepa. Mais de 60 acadêmicos de medicina prestigiaram o evento, realizado na última sexta-feira, 15, que contou com a presença do médico radiologista Roberto Macedo, ilustre homenageado com o nome do Núcleo e diretor da Unidade Municipal de Saúde Benguí 2.

Emocionado com o reconhecimento, o médico veterano Roberto Macedo, admirado pelos jovens estudantes graças ao trabalho que desenvolve na Unidade do Benguí, devolveu a homenagem: “Hoje eu vejo aqui em minha frente uma juventude de garra, de luta, guerreiros que vocês são, de verdade. Nem a maior montanha do mundo vai esfriar o ânimo de vocês. Isso me deixa muito feliz”. Sobre a homenagem, disse que não acreditava quando recebeu notícia tão gratificante. “Duvidei até agora. É uma alegria enorme. Faço 80 anos no ano que vem, mas vocês agora me deram mais 30 anos de vida. Muito obrigado mesmo”, agradeceu.

O diretor do Sindmepa, Wilson Machado, abriu o evento saudando os presentes e convidando a todos para assistir ao vídeo institucional que explica um pouco sobre o funcionamento do sindicato. Em nome da diretoria colegiada, também representada pelos médicos João Gouveia e Carlos Sinimbú, ele disse do enorme prazer do Sindmepa em receber o Núcleo Acadêmico. “Ver esse auditório repleto nesta noite de sexta-feira é uma grata surpresa que nos deixa muito felizes. Sintam-se em casa”.

LUTA MÉDICA

Um dos idealizadores do projeto, o estudante da UFPA, Marcelo Ferreira, eleito recentemente vice-presidente para Assuntos Externos da IFMSA Brazil, disse que “a fundação do Núcleo Acadêmico dr. Roberto Macedo torna mais palpável a continuidade do trabalho do Sindmepa ao permitir um contato mais próximo dos acadêmicos com a luta e a defesa profissional. Estamos juntos nessa construção, a IFMSA Brazil se orgulha em contribuir com essa iniciativa”.

“Ver hoje aqui estudantes de medicina de Belém representando a região é muito legal. É muito importante esse espaço de representação estudantil. Muito gratificante ver aqui médicos entendedores dos problemas dessa região, da diversidade regional”, disse Maitê Gadelha, estudante da Uepa e presidente nacional da IFMSA Brazil.

O presidente da Federação Médica Brasileira (FMB), Waldir Cardoso, lembrou da luta das entidades sindicais médicas para se firmar e serem reconhecidas pela própria categoria: “No início, a atividade sindical médica era vista com preconceito. Agora já diminuiu muito, mas ainda restam resquícios. Afinal, a atividade sindical é por si só, conflituosa. Este sindicato desde que foi fundado tem um compromisso: somos uma entidade corporativa. Defendemos o trabalhador médico. Isso sem deixar de lado nossa atuação social como as ações de combate ao escalpelamento, por exemplo, entre outras lutas. Mas nossa função primeira é a defesa do médico. Defendemos a ferro e a fogo o bom médico”, declarou.

Waldir destacou, porém, a grande preocupação da diretoria colegiada com a continuidade do trabalho sindical: “estamos envelhecendo, temos mais de 20 anos de vida sindical e a juventude precisa assumir e dar continuidade ao nosso trabalho. Essa não é uma preocupação só nossa, mas de todas as entidades sindicais”, destacou. Nossa parceria com a IFMSA, que já vem desde 2014, se amplia agora com o Núcleo Acadêmico e dá um novo gás ao Sindmepa. Mãos à obra, futuros colegas”.

APOIO DE OUTRAS ENTIDADES

Também prestigiaram o lançamento do Núcleo Acadêmico médicos representantes de instituições importantes do Estado do Pará. O presidente do Conselho Regional de Medicina, Paulo Guzzo, afirmou: “este momento é de grande importância para os médicos paraenses, estamos aqui pela grandiosidade que ele representa, um momento de união e crescimento. Vemos no rosto de cada um de vocês a disposição de lutar pelo melhor da medicina. Parabenizo pela iniciativa”.

A presidente da Santa Casa, Rosângela Monteiro, que já foi diretora do Sindmepa, também parabenizou pela iniciativa: “Não tem como a gente não ficar emocionada com essa iniciativa. Sonhamos com isso há muito tempo. E o médico que inspirou vocês, dr. Roberto Macêdo, representa tudo o que há de melhor na categoria médica. Dedicação, respeito e amor ao que faz. Não poderiam ter escolhido melhor”.

A Conselheira Federal do CFM do Pará, a médica obstetra Léa Rosana Viana de Araújo, disse que a estruturação do Núcleo é um primeiro passo para que a produção científica da região ganhe destaque nacional. Ela também destacou a necessidade da representação política para melhorar a saúde e a medicina local. “Sem representação política a gente não faz nada. Vamos nos unir, nos integrar, vamos trabalhar”.

Em nome do Núcleo Acadêmico, Thaiana Azevedo, coordenadora regional da IFMSA Brazil e universitária do Cesupa, disse que a expectativa é que, com a fundação do Núcleo, a visão do estudante seja reconhecida, “que a gente possa levar nossa voz além da Universidade, que estejamos unidos na defesa de uma medicina de qualidade. E essa parceria com o Sindicato dos Médicos vai ser um ganho gigantesco para nós”. Ela apresentou a estrutura funcional do Núcleo, as coordenações e forma de ação. São um total de oito coordenações que atuarão em contato direto com o Sindicato e fazendo a interligação com as ligas acadêmicas. A parceria envolve a participação da IFMSA Brazil (Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina do Brasil), a qual estão ligados os coordenadores e idealizadores do Núcleo.

Deixar um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.